O que você faria se tivesse apenas duas horas de vida?

O que você faria se tivesse apenas duas horas de vida? Enfrentei este dilema a cerca de três anos e meio a trás.

O que você faria se tivesse apenas duas horas de vida?
O que você faria se tivesse apenas duas horas de vida?

Era uma noite de segunda e voltava novamente ao hospital devido fortes dores no peito ou nas costas não tinha muita certeza do local, mas naquela vez tive dores muito intensas e como nas vezes anteriores, quando cheguei ao hospital a dor tinha passado quase totalmente.

Mas estava lá e por insistência da minha mulher fiz os exames de praxe. Médico olhou meu eletrocardiograma e me pediu licença. Pensei vai pedir uma segunda opinião talvez nem saiba ler direito o tal exame…

Retorna ao consultório depois de dez infindáveis minutos e me pergunta novamente como estou. Disse que agora estava bem e o pior já tinha passado.

– Pois é… Tem certeza que está com pouca dor? Pelo exame, o senhor devia estar caído no chão. Está com sua coronária completamente obstruida! Quando tem faz que sentiu a dor forte? Exatamente a duas horas doutor!

– Ah então está tudo bem! Temos duas horas para desobstruir sua coronária. Vai dar tempo!

Eu na hora não pensei que ia morrer. Pensava no lado bom. Sou um otimista que enxerga sempre o meio copo cheio. Temos duas horas para reverter o quadro desfavorável? Eu não pensei duas vezes. Perguntei ao Doutor:

– O que Eu preciso fazer?

Ele me explicou detalhadamente o que eu deveria fazer e principalmente o que não fazer. Começamos a luta contra o relógio para desobstruir a danada da coronária.

Plano A com uso de medicação não deu certo. Iniciamos o plano B que era um cateterismo e como vocês já devem ter adivinhado, o final foi feliz! Procedimento deu certo e depois de alguns dias no hospital e em casa iniciei o processo de recuperação.

Mediante o quadro apresentado é o que vocês fariam mediante de um desafio destes pela frente?

  • Entrariam em pânico com a possibilidade de não sobreviver?
  • Tentariam se despedir de pessoas queridas? Eu não quis fazer isto para não assustar meus filhos, afinal era madrugada e ambos estavam em cidades muito distantes. Se o procedimento desse errado certamente me arrependeria de não tê-los acordado para uma derradeira conversa.
  • Adotariam alguma providencia antes do possivel desfecho? Você já viu o vídeo sobre a pesquisa feita sobre este assunto? (clique aqui para ver)
  • Ou apostariam todas as suas fichas na conduta médica sugerida?

Quando se aborda o caso do ponto de vista da saúde de uma pessoa com risco de morte ficamos sensibilizados e nem todo mundo passa por uma situação extrema, mas no mundo dos negócios a inteligência emocional é fundamental na gestão de crise e quando o time tem planos de ação de contingência c0m papéis claros e responsabilidades bem definidas e um comitê gestor também previamente definido as chances de reverter o quadro aumentam significativamente.

Não espere a crise chegar para preparar seu time…

leia também Pense; O que te move? (clique aqui para ler o artigo)

3+