Sabes que dia é hoje?

Sabes que dia é hoje? Se tu estás perdido não se preocupe. Você é normal! Quem não está normal é o momento que estamos vivendo. O mundo está de cabeça para baixo. E perdemos a sensação do tempo que tínhamos até o início desta crise gerada da pandemia do novo coronavírus, o Covid-19.

Sabes que dia é hoje?
Sabes que dia é hoje?

A pandemia entre os diversos prejuizos materiais e psicológicos que trouxe para a humanidade está a eliminação da sensação do tempo.

E porque razão temos este sentimento?

Perdemos nossas rotinas

O confinamento mudou radicalmente nossas rotinas, aliás o isolamento social e o home office (no meu caso) praticamente eliminou as rotinas que tínhamos antes da crise. Afinal, perdemos as referências diárias de levantar, ir ao trabalho, levar filhos na escola para a grande a maioria das pessoas e até os momentos de lazer que mudaram radicamente e o futebol foi substituído momentaneamente pelas “lives”.

Fonte: Texto inspirado no artigo da CNN em espanhol “¿Sabes qué día es hoy? La pandemia juega con el tiempo

Fazemos várias tarefas simultaneamente

Quem está no seu local de trabalho deve ter uma ponta de inveja de quem foi premiado com o home office imaginando que dormimos até tarde, sonham que estamos maratonando séries de toda espécie enfim férias alargadas e basta algumas calls ou vídeo-chamadas e o resto do tempo é só alegria!

Pois saibam nobre colegas que nós também estamos morrendo de inveja de vocês! Sim porque fazemos um sem número de coisas ao mesmo tempo, improvisando a falta de infra doméstica e reclamando o tempo todo da internet que nos deixa na mão quando mais precisamos dela!

E como não saímos do “serviço” nossa jornada vai até o limite das nossas forças. Minha companheira me fala todo o dia que não vê a hora da pandemia acabar para ter uma folga aqui em casa.

Afinal eu trabalho com logística de e-commerce ou seja somos 24 horas por sete dias da semana!

Estas alterações geram stress

Estas perdas de referencia de rotinas e processos, o confinamento e ter que fazer tudo ao mesmo tempo é desgastante. E a incerteza do que vem pela frente? Isto me parece que é o fator maior de stress. Afinal a única certeza que temos é que nada será como antes. E quando este pesadelo acaba? Eu fiz uma enquete aqui no blog com 3 possibilidades de quando as coisas voltariam ao norma. Restam duas, pois abril acabou e a crise não.

Sem contar os setores que estão fechados sem receitas, parentes e amiga(o)s vivendo o fantasma da quebra ou do desemprego me tira o sono e desassossega a minha alma.

O tempo é relativo – O que fazer?

Já escrevi muitos artigos aqui no Blog de como enfrentar a crise. Não tem receita nem caminho fácil. Quem quiser conhecer alguns deles é só buscar nas categorias “Gestão do Tempo” e “Rogério” do Blog.

De qualquer forma o caminho passa em mantermos o foco nas atividades essenciais e mantermos um mínimo de rotinas e portanto tente estabelecer alguns blocos com faixas horárias que permitam a reconstrução desta nova noção de tempo entre quatro paredes como as refeições (evitando o sobrepeso de quem passa o dia inteiro “beliscando” porcarias, compromissos de trabalho e finalmente os horários de descanso e convívio com seus familiares sejam companheiros de confinamento ou por vídeo.

Tire algo de positivo desta experiência

Aproveite este confinamento e conviva mais com quem está “preso” ao seu lado. Afinal algo de bom tem que ter nesta loucura toda….

Fonte: CNN em español – Texto adaptado livremente do artigo “¿No sabes qué día es hoy? Hay una buena razón por la que te cuesta recordarlo

1+