Drone voa sem supervisão humana local nos EUA

Drone voa sem supervisão humana local nos EUA . A FAA (Administração Federal de Aviação dos EUA) autorizou, na sexta-feira, 15/01/2021, os drones da companhia American Robotics a decolar sem supervisão humana no local.

Drone voa sem supervisão humana local nos EUA fonte: Rastro 101
Drone voa sem supervisão humana local nos EUA

Até agora, autoridade exigia  que alguém estivesse no local de decolagem.

Drones capazes de trabalhar com segurança e com supervisão humana apenas remota podem ganhar escala e um nível muito maior de viabilidade comercial. 

O maior avanço anterior na liberação de drones nos EUA havia sido uma autorização, dada em outubro, para que equipamentos da empresa Skydio voassem de forma autônoma para inspecionar pontes na Carolina do Norte, informa o site americano The Verge.

Mas os equipamentos da Skydio só podem trabalhar se houver no local um supervisor humano um observador visual ou “VO”, na sigla em inglês que libere o robô para se aproximar da ponte. A American Robotics tinha uma autorização anterior para voos sem contato visual entre o piloto e o drone (voo além da linha de visão ou, na sigla em inglês, BVLOS).

Mas o piloto precisava estar presente na inspeção do equipamento da decolagem.

American Robotics

Os equipamentos da American Robotics também se dedicam principalmente a inspeções de infraestrutura e produção agrícola. Em repouso, cada drone permanece numa base de recarga, à prova d’água, que faz também processamento e transmissão de dados. A nova autorização da FAA foi obtida porque esses drones contam com um sistema de detecção de aproximação em voo. Segundo a companhia, o sistema acústico percebe outras aeronaves a mais de três quilômetros de distância e faz o drone pousar automaticamente se for necessário. Os testes foram conduzidos em oito estados ao longo de quatro anos. A autorização vale só para locais específicos nos estados de Kansas, Massachusetts e Nevada. Ainda se exige que cada drone passe por um checklist antes de decolar e seja supervisionado durante o voo mas tudo isso pode ser feito de forma remota. 

“Décadas de promessas e projeções estão finalmente se realizando”, afirmou Reese Mozer, CEO e cofundador da American Robotics. O executivo disse que as restrições anteriores limitavam muito o uso dos drones em grande escala comercial.

Fonte: Rastro 101 e Época Negócios

+1