O enterro do Burro que não morreu

O enterro do Burro que não morreu . Um fazendeiro ficou desesperado com a notícia que seu velho e querido burro tinha caído em um poço abandonado em suas terras. Tentou tirar o pobre animal de todos os jeitos, mas o poço era estreito e fundo.

O enterro do Burro que não morreu
O enterro do Burro que não morreu .

Passados 2 dias, o animal mostrava cansaço e fraqueza, o fazendeiro pediu para mandarem água e ração para que o burro não morresse de fome e sede. A ração chegava ao destino mas a água virava e o pobre animal começa a padecer de sede e estresse.

Passada uma semana o fazendeiro foi convencido pelos demais funcionários que não tinha como salvar o animal.

Desesperado, concordou que não tinha solução. Mas o que fazer? Como reduzir o sofrimento do seu antigo companheiro? Alguém deu a sugestão de enterrar o velho burro vivo.

O fazendeiro reagiu. Como assim? Isto é cruel! Mas alguém contra-argumentou que crueldade era deixar o animal morrer ao longo de mais tempo. Abandonado a sua própria sorte (ou azar).

Constrangido, o proprietário foi ao local e se despediu em lágrimas de quem tinha iniciado com ele a construção de um império econômico representado pela fazenda a partir de um pequeno pedaço de terra décadas atrás.

E com um nó apertado no coração despejou no antigo poço abandonado algumas pás de terra sobre a cabeça do velho burro.

E encarregou alguns trabalhadores a concluir o trabalho de terminar o enterro do burro que não morreu.

Retornou para a sede da fazenda com uma dor que só ele conseguia avaliar o que estava sentindo. Lembrava emocionado tudo o que havia passado naquelas terras para chegar ao fim da vida próspero e rodeado de uma linda família.

A presença do burro servia de alerta que se os tempos eram bons nem sempre tinham sido assim. Ajudava-o a lembrar de suas origens e por isto o burro representava muito para ele.

Foi até a capela da Fazenda para rezar pela alma do burro. E de repente escuta um alarido com pessoas gritando e chamando por ele. Pareciam felIzes. O fazendo interrompeu suas orações e foi ver o que ocorria.

E para sua surpresa eis que seus empregados estavam de volta e com o velho burro vivinho da silva!

O fazendeiro não se conteve e em lágrimas perguntou o que havia acontecido. Como haviam salvo o animal?

Explicaram que na medida que colocam a terra o burro se sacudia e pisava na terra que havia caído. De forma sistemática o animal ia subindo e não se deixava ficar por baixo da terra. Tanto fizeram que o animal acabou chegando a uma altura que conseguiram iça-lo para fora do poço.

E você? costuma jogar a toalha antes da hora? Quantas vezes tudo mostra um cenário terrível sem solução e você conseguiu uma saída?

Leia também o Fazendeiro e o Rato

Texto de Autor Desconhecido adaptado pelo Blog

1+