Tag: China

Dona da 99 pode fazer o maior IPO de 2021

Dona da 99 pode fazer o maior IPO de 2021 . A empresa chinesa Didi Chuxing dona do aplicativo 99 no Brasil pode realizar em breve o que promete ser a maior oferta pública inicial (IPO) de ações de 2021. A empresa divulgou na última quinta-feira (10/06) que realizou o pedido para entrar na Bolsa de Valores dos Estados Unidos, transação com possibilidade de gerar uma avaliação total entre US$ 70 bilhões a US$ 100 bilhões.

Dona da 99 pode fazer o maior IPO de 2021
Dona da 99 pode fazer o maior IPO de 2021Imagem: Divulgação/Didi Chuxing

Conhecida formalmente como Xiaoju Kuaizhi Inc., a Didi foi criada em 2021 pelos sócios Cheng Wei e Jean Liu e atualmente possui mais de 493 milhões de usuários ativos espalhados por 15 países. A companhia se tornou a líder no mercado de caronas pagas na China em 2016, quando comprou as operações da Uber no país — somente por lá, ela conta com 377 milhões de usuários ativos de seus aplicativos e 13 milhões de motoristas credenciados.

Segundo a companhia, o montante arrecadado com a oferta inicial de ações deve ser usado para investir em tecnologias e continuar sua expansão em outros territórios, o que inclui o lançamento de novos produtos. O maior investidor individual da empresa é corporação multinacional japonesa de telecomunicações e internet SoftBank que, com participação de 21,5% dos negócios, pode ter um grande retorno sobre os aproximadamente US$ 11 bilhões que já investiu no negócio.

Outros acionistas de renome são a Uber Technologies, com 12,8% de cotas, e a Tencent Holding, que possui 6,8% de participação. A Apple também chegou a investir US$ 1 bilhão na Didi e possui um de seus membros no quadro de diretores, mas não é listada como uma das acionistas no pedido feito para iniciar a oferta dos papeis.

Apesar de ter reportado perdas em 2020 como resultado da pandemia do COVID-19, a organização está registrando bons resultados em 2021 graças à reabertura da economia chinesa. No primeiro trimestre fiscal deste ano ela registrou US$ 837 milhões em lucros líquidos, com vendas totais que chegaram a US$ 6,4 bilhões.

Fonte: Nikkei Asia

AliExpress anuncia parceria para criação de lojas virtuais no Brasil

AliExpress anuncia parceria para criação de lojas virtuais no Brasil . O AliExpress firmou uma parceria com a plataforma de e-commerce Nuvemshop, a qual trará diversas vantagens aos empreendedores no país. A principal delas é que o lojista conseguirá gerar receita com o comércio eletrônico sem precisar investir em estoque – modelo de negócio conhecido como dropshipping.

AliExpress
AliExpress anuncia parceria para criação de lojas virtuais no Brasil

Ademais, qualquer empreendedor pode construir o seu negócio online em poucos cliques, conectar a loja virtual com o marketplace chinês e selecionar produtos do mundo inteiro para vender aos consumidores brasileiros.

De acordo com Yan Di, country manager do AliExpress no Brasil, o grupo prevê beneficiar mais de 10 milhões de pequenas e médias empresas (PMEs) no mundo até 2036 com suas tecnologias.

“Nossa meta é atender mais de 2 bilhões de consumidores pelo mundo e gerar 100 milhões de postos de trabalho diretamente ligados ao nosso ecossistema de e-commerce, conectando pessoas que desejam vender algo a outras pessoas que precisam comprar em qualquer local do mundo”, afirma o executivo.

Como vai funcionar

Essa conexão entre as duas empresas é possível por meio do aplicativo Dropi, desenvolvido pela Empreender e lançado na plataforma da Nuvemshop. 

Para ter acesso a essa solução, o empreendedor deve primeiramente criar uma loja virtual na Nuvemshop. Lá, ele conseguirá interligar diversos aplicativos do ecossistema já disponíveis na plataforma, como meios de pagamento e o app Dropi. 

Após integrar o app, o lojista já estará conectado ao ambiente dos produtos vendidos pelo grupo Alibaba, onde poderá selecionar centenas de milhões de produtos de fabricantes e distribuidores espalhados pelo mundo todo para vender no Brasil.  

O vendedor escolhe o produto no AliExpress e o importa para o seu site. Quando esse item é vendido, automaticamente, o sistema aciona o fornecedor e este faz o envio direto ao consumidor final. O processo ocorre de forma automática e o consumidor não tem conhecimento de que essa transação foi intermediada pelo AliExpress. 

Desta forma, os lojistas não precisem gerenciar estoque e o pagamento do produto só é efetuado ao fornecedor quando, efetivamente, o cliente finaliza o pedido.  

Para o consumidor, também há benefícios, como acesso a maior variedade de itens e, consequentemente, mais competitividade nos preços. Além disso, será possível comprar produtos internacionais e recebê-los em cerca de dez dias, prazo que só é possível devido aos quatro voos fretados semanais operados pelo grupo Alibaba. 

Fonte: Olhar Digital

Trem magnético viaja acima de 600 km/h

Trem magnético viaja acima de 600 km/h . A China mostrou um protótipo do que pode ser a sua próxima geração de trens de levitação magnética (maglev). Pesquisadores da Southwest Jiaotong University apresentaram nesta semana um maglev de 165 metros de comprimento, que passará por testes em ambiente controlado.

Trem magnético viaja acima de 600 km/h
Leia mais

AliExpress reduz 50% valor necessário para obter frete grátis

AliExpress reduz 50% valor necessário para obter frete grátis . Compras que totalizam US$ 15 já são o suficiente para garantir uma entrega sem custos adicionais

AliExpress reduz 50% valor necessário para obter frete grátis
AliExpress reduz 50% valor necessário para obter frete grátis

Boa notícia para quem gosta de comprar no AliExpress: o e-commerce chinês reduziu o limite mínimo do valor necessário para a obtenção de frete grátis na modalidade de entrega Direct. O que antes exigia ao menos US$ 30 (aproximadamente R$ 170 na conversão direta das moedas) em compras, agora precisa de apenas US$ 15 (cerca de R$ 85) para acontecer.

O novo limite passou a valer recentemente, no mês de agosto. Sendo assim, segundo a plataforma de e-commerce, 50% mais clientes estão sendo capazes de aproveitar o frete grátis.

O AliExpress Direct é uma nova modalidade de entregas criada pela plataforma em meio à pandemia de coronavírus para facilitar o envio de mercadorias. Com isso, os clientes podem receber todos os itens comprados, mesmo que em lojas diferentes, em um único pacote, o que significa que é preciso apenas um voo fretado – daí a economia.

O maior trabalho não fica por parte do transporte, mas sim dos vendedores, que precisam estar coordenados sob as ordens da plataforma. Então, por semana, o AliExpress envia dois voos fretados da China ao Brasil com diversas compras acumuladas. Segundo o e-commerce, leva cerca de 35 dias a partir do pagamento para que um cliente no Brasil receba seu pacote.

“O voo fretado é, em geral, uma forma de entrega mais cara. No entanto, é a maneira mais confiável de garantir o prazo durante um período imprevisível”, explicou o AliExpress em relação ao cenário causado pela Covid-19.

Outra novidade em relação ao transporte de mercadorias do AliExpress é a possibilidade de devoluções gratuitas em até 15 dias após o recebimento. Portanto, se o cliente não gostou do produto, o frete da devolução é por conta da plataforma dentro do período estipulado.

Fonte: Olhar Digital e Exame