Categoria: Tecnologia

AliExpress reforça estratégia no Brasil com avião próprio e ‘influencers’

AliExpress reforça estratégia no Brasil com avião próprio e ‘influencers’ . Toda semana, três aviões dos grandes, como o Boeing 747, saem da China para o Brasil lotados só de encomendas de usuários do AliExpress, o maior marketplace (shopping virtual) do planeta.

AliExpress reforça estratégia no Brasil com avião próprio e ‘influencers’
Leia mais
1+

Rappi capta mais de US$300MM em nova rodada de investimentos

Rappi capta mais de US$300MM em nova rodada de investimentos . Com a injeção de capital, a companhia já arrecadou mais de 1,7 bilhão de dólares e intensifica a disputa no mercado da América Latina . A Rappi levantou mais de 300 milhões de dólares em uma nova rodada de captação que contou com a participação de fundos internacionais, como o americano T. Rowe Price Associates.

Rappi capta mais de US$300MM em nova rodada de investimentos
Rappi capta mais de US$300MM em nova rodada de investimentos

Com o novo aporte, a plataforma colombiana que atua com a entrega de refeições, itens de supermercado e até compras em farmácias e petshops, já captou mais de 1,7 bilhão de dólares.

A notícia foi divulgada inicialmente pela agência de notícias Reuters, que lembrou que a companhia havia informado, no dia 18 de setembro, em comunicado para a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) a intenção de captar 350 milhões de dólares em uma nova rodada de investimento

O valor exato do investimento e os nomes de todos os envolvidos no aporte ainda não foram divulgados. Em nota, a companhia apenas confirmou que o valor é superior a 300 milhões de dólares. e citou a participação do fundo T. Rowe Price Associates.

“É uma grande satisfação trabalhar com este time de investidores que confia no nosso modelo de crescimento”, informou a Rappi em um comunicado enviado à EXAME. A companhia não especificou o que pretende fazer com o dinheiro captado, mas a expectativa é que o valor seja revertido para impulsionar os negócios nos nove países em que a companhia atua na América Latina.

De certo é que a mais nova injeção de capital na operação da Rappi dá ainda mais fôlego para a empresa na disputa pelo mercado brasileiro. No Brasil, a companhia tem como principais rivais o iFood, da Movile, também avaliado em mais de 1 bilhão de dólares, e o Uber Eats. A Rappi, porém, oferece um leque maior de opções em sua plataforma do que suas concorrentes.

Nos últimos meses, a companhia passou a investir mais na diversificação de serviços ofertados dentro de sua plataforma. Com o objetivo de se transformar em um superaplicativo, a Rappi adicionou o streaming de lives (com compras embutidas) e a venda de passagens dentro do aplicativo.

Fundada em Bogotá, na Colômbia, ainda em 2015 por Felipe Villamarin, Sebastian Mejia e Simon Borrero, a Rappi alcançou o status de unicórnio ainda em 2018. No fim de junho, a companhia estava avaliada em 3,5 bilhões de dólares, acordo com a consultoria alemã Statista. Com mais um aporte, a Rappi deve aumentar seu valor de mercado

Leia também Inteligência de Mercado da Rappi (clique aqui para ler o artigo)

Fonte: Exame.com

2+

Localiza e Unidas anunciam união de operações

Localiza e Unidas anunciam união de operações . As locadoras de automóveis Localiza e Unidas anunciaram nesta quarta-feira (23/09/20) que pretendem unir suas operações. O anúncio da fusão ainda depende de aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

Localiza e Unidas anunciam união de operações
Localiza e Unidas anunciam união de operações
Leia mais
1+

Aplicativo Cabify investe em bicicletas em Madrid

Aplicativo Cabify investe em bicicletas em Madrid . Cabify teve seu movimento significativamente com toda a crise gerada pela pandemia do novo Coronavirus o Covid-19. Afinal a interrupção do turismo, da vida noturna como shows, peças de teatro cinema e funcionamento de bares e restaurantes e da economia em geral teve uma redução significativa em suas viagens e corridas.

Aplicativo Cabify investe em bicicletas em Madrid Foto: El Economista
Aplicativo Cabify investe em bicicletas em Madrid

A referida plataformar de veículos lançou um novo app “Bive” para oferecer um serviço a aos usuarios que escolheram a bicicleta para moverse pela cidade de Madrid.

A opção pela bicleta ganhou relevância durante o confinamento. Cabify explica que a demanda por bicicletas disparou até porque a produção de veículos automotores foram suspensas e faltam no mercado muitas autopeças para reparo de automóveis. Nesta primeira fase de lançamento do Bive o serviço está disponível somente na capital espanhola.

Bive oferece tres tipos de serviço aos ciclistas urbanos: um gratis y dois pagos.O gratuito limita o uso do app a elaboração do melhor caminho de bike para chegar ao destino, a localização de estacionamentos públicos para bicicletas e o cálculo das calorías consumidas durante o percurso.

O modelo de assinatura básica oferece serviços como um seguro de responsabilidade civil ou asistência durante viagem, que não são obrigatórios para usar a bike, manutenção delas em uma rede de oficinas credenciadas para consertar pneus furados por exemplo. e vários descontos en todos os serviços da Cabify e da app Movo de comportilhamente motos, por ejemplo. Assinatura custa 14,99 euros mensais.

Já o serviço premium “Bive Plus Premium” custa a partir de 44,99 euros mensais inclui o aluguel de uma bicicleta con a opção a compra ao final do contrato. Uma espécie de leasing com opção de compra..

Cabify celebrou um acordo com várias oficinas para fazer a manutenção das bike abriu uma loja de bicicletas na rua Alberto Aguilera com venda de modelos que variam de 650 a pouco mais de 1.400 euros, que podem ser adquiridas através do app.

Na fase inicial, o app, do Cabify somente estacionamentos públicos, mas estão em avaliação acordo com operadores privados para ampliar as opções.

Mobilidade em ritmo lento

Durante a primeira semana de setembro foram contabilizadas uma media de 5,8 milhões de viagens diarias, uma redução de 36 % comparando com o mesmo perído do ano passado.2019.

O modo de transporte máis usado pelas pessoas em Madrid é veículo privado (42,3 %), que cresceu sete pontos, comparativamente ao mesmo período de 2019. Seguem as bikes e outros veículos de mobilidade urbana (32,6 %), que subiram quatro pontos e por último, o transporte público (25 %), cujo uso foi reduzido 11 pontos, considerando o mesmo perído do ano passado..

Leia também Travessia em duas rodas para entender a paixão que as magrelas despertam nas pessoas (clique aqui para acessar o artigo)

Fonte: El Economista.

2+

Navio movido a energia eólica transportará 7 mil carros

Navio movido a energia eólica transportará 7 mil carros . Um consórcio sueco formado pelo KTH Royal Insititute of Technology, de Estocolmo, a consultoria marítima SSPA, e sob a supervisão dos designers de navios da companhia Wallenius Marine, desenvolveu o Wind Powered Car Carrier (wPCC), um cargueiro transatlântico movido a energia eólica.

Navio movido a energia eólica transportará 7 mil carros
Navio movido a energia eólica transportará 7 mil carros

Enquanto o segmento de veículos elétricos para usuários finais tem registrado forte crescimento nos últimos anos, no mundo comercial, ele não deu grandes saltos, principalmente quando falamos de transporte marítimo.

Navios elétricos não são uma abordagem muito próxima de carros elétricos, uma vez que o peso das baterias teria muito mais relevância no mar do que na terra. Por isso, ao invés de usar baterias, o wPCC usa “velas” que são impulsionadas pela força do vento, transmitindo o impulso para o casco, exatamente como faz um barco veleiro.

Até 90% mais limpo que navios comuns

O wPCC é um pouco mais curto que um navio contêiner de porte médio, mas é muito mais alto, devido às velas. Ele tem 200 metros de comprimento, 40 metros de largura e 100 metros de altura, sendo 20 metros do navio em si e mais 80 metros das velas.

Por razões de segurança e para entrar e sair do porto, o cargueiro terá motores adicionais, que deverão ser elétricos, a fim de manter seu aspecto sustentável.

Por falar em sustentabilidade, o wPCC será capaz de transportar até 7 mil veículos, emitindo até 90% menos gases que um navio movido a combustíveis fósseis de mesmo porte.

O wPCC está previsto para começar a operar em 2024, e, por enquanto, só tem uma desvantagem em relação às embarcações que usam energia não-renovável: ele deverá levar 12 dias para atravessar o Atlântico, quase o dobro do tempo necessário para um navio comum, que cruza o oceano em sete dias.

Fonte: Tecmundo e LinkedIn do Márcio H.

1+

Eu vejo a logística melhor no futuro

Eu vejo a logística melhor no futuro . Tenho um olhar otimista sobre o que nos aguarda na logística nos próximos anos. E em vários segmentos dela. Talvez os maiores resultados venham de uma atividade que ainda está iniciando em nosso país mas terá uma “explosão” em curto espaço de tempo.Leia o texto abaixo e tire suas conclusões..

Leia mais
2+

Primeira entrega do mundo com Drone em plataforma petrolífera

Primeira entrega do mundo com Drone em plataforma petrolífera . Recentemente, na costa da Noruega, um helicóptero Camcopter S-100 fez história e entregou uma peça impressa em 3D a uma plataforma de petróleo após um voo de 100 km sobre o Mar do Norte, potencialmente abrindo a caminho de uma manutenção mais segura, barata e com menos emissões dessas grandes operações off-shore.

Primeira entrega do mundo com Drone em plataforma petrolífera ´Foto mostra a proporção do Done em relação a um ser humano - Fonte: Cavok
Primeira entrega do mundo com Drone em plataforma petrolífera ´Foto mostra a proporção do Done em relação a um ser humano
Leia mais
1+

Rappi fará blitz para atrair novos entregadores ao superapp em SP

Rappi fará blitz para atrair novos entregadores ao superapp em SP . De 10 a 24 de setembro, campanha estará em todas as regiões da capital paulista com o objetivo de conquistar 1.000 novas adesões à plataforma. O Rappi anuncia uma ação inédita de blitz nas ruas da cidade de São Paulo para atrair novos entregadores parceiros à plataforma e engajá-los com o superapp. 

Rappi fará blitz para atrair novos entregadores ao superapp em SP
Leia mais
0

Pesquisa ECBR realidade logística dos pequenos e médios e-commerces

Pesquisa ECBR realidade logística dos pequenos e médios e-commerces . No último dia 18 de agosto, a greve dos Correios afetou em especial os pequenos e médios e-commerces brasileiros. Isso porque, segundo levantamento da Loja Integrada, para cerca de 86% desse perfil, os Correios são o principal modal de frete. Para melhor entender o processo de entregas do mercado online, o portal E-Commerce Brasil realizou a pesquisa “Logística Externa”, que reuniu dados logísticos de 99 lojistas brasileiros.

Pesquisa ECBR realidade logística dos pequenos e médios e-commerces brasileiros
Pesquisa ECBR realidade logística dos pequenos e médios e-commerces brasileiros

Entre os pontos levantados, ficou evidenciado que os Correios ainda são de extrema importância para esse mercado. Afinal, 65 dos entrevistados afirmaram utilizar a empresa de logística como principal canal, enquanto apenas 13 delas alegam o uso de frota própria (66% também disseram utilizar transporte terceirizado, como caminhão, carro e motocicleta).

Logística e acompanhamento

Entre os meios mais utilizados para entregas, ficou assim: caminhão (55%), carro (25%), motocicleta (14%), avião (4%) e bicicleta (1%). Além disso, as respostas permitiram entender os principais motivos para o uso dos Correios como opção de entregas. O custo elevado das transportadoras ainda é um impeditivo para os pequenos e médios e-commerces. Prazo e rastreabilidade também somaram nessa questão, tanto por parte das transportadoras como das lojas virtuais. Vale ressaltar que 69% das empresas ainda não contam com sistemas de gerenciamento de transporte (TMS) a fim de otimizar as entregas.

Logística reversa

Apesar da greve, os Correios garantiram que tanto a logística reversa, como Coleta Programada da empresa não foram afetadas. E ao que tudo indica não é apenas a estatal que realiza um bom trabalho de logística reversa. Entre os e-commerces pesquisados, 85 deles contam com uma política rigorosa de trocas e devoluções. Sobre a porcentagem de devoluções no ambiente digital, ficou assim:

  • Entre 47% dos pesquisados, somente em 1% das vendas foi devolvida;
  • Para outros 19%, esse número ficou entre 1% e 2%:
  • 16% afirmaram que a devolução é entre 2% e 4%;
  • Já 8% disseram que entre 4% e 6% das entregas são devolvidas;
  • E, por fim, 7% disseram ter entre 6% e 8% dos produtos devolvidos.

Indicadores logísticos

Dado os resultados, perguntamos quais seriam os indicadores dos processos logísticos utilizados pelos pesquisados. Apesar de alguns ainda não saberem como mensurar os resultados, percebemos outra grande parte já engajada nos dados. Para esse segundo grupo, a análise foi possível devido à utilização da SLA (Service Level Agreement) no contrato com a prestadora de serviços. Os registros gerados pela SLA, nesse caso, contribuem para a análise de resultados e, consequentemente, reparação dos erros de operação.

Outros três indicadores utilizados pelos pesquisados foram:

  • OTIF (On Time, in Full): mostra o número de pedidos entregues corretamente e dentro do prazo;
  • OTD (On Time Delivery): revela o tempo entre separação do pedido  e expedição da transportadora;
  • OTP (On Time Processing): calcula o tempo total de processamento do pedido. Mensura desde o momento da disponibilização do produto, passando pela separação e expedição à transportadora.

A logística e a experiência do cliente

O e-commerce busca a cada vez mais oferecer experiências personalizadas aos clientes. E, claro, a logística não foge dessa máxima. Questionadas sobre opções de entregas exclusivas aos compradores, apenas 35% das empresas afirmaram se adaptar às particularidades quando requeridas. Já as demais 64% disseram não oferecer essa opção, apesar de ter no catálogo os modelos de entrega normal, expressa e agendada.

Em contrapartida, a maior parte garante entregar uma experiência acima da média quando o assunto é “embalagem”. Para 48% dos respondentes, os produtos são entregues em embalagens (caixas) personalizadas, enquanto 34% disseram fazer as entregas em caixas lisas. Sacos invioláveis personalizados compõem a realidade de 23% da empresas, enquanto 15% utiliza caixas de papelão reutilizadas e 5% dizem utilizar outro formato de embalagem — bobina de papel kraft, sacolas personalizadas, envelopes de papel e de plástico compõem esse perfil.

Existem outras alternativas como para pequenos e médios e-commerces: Jadlog e plataformas de frete

Apesar da Pesquisa aferir o impacto da greve dos Correios existem outras alternativas no mercado como transportadoras com cobertura nacional que a cada dia são mais utilizados por ecommerce de todos os tamanhos.

Entre as alternativas destaco a Jadlog que possui quase 500 pontos de captação de despacho de remessas em cidades de todos os portes e em todos estados brasileiros. A Jadlog ainda tem um serviço chamado Pickup que permite a entrega das através de milhares de pequenos comércios, com fretes menores. O Pickup é uma experiencia de sucesso na Europa que o Grupo DPD (novo controlador da Jadlog) trouxe para o BRasil.

Além disto a cada dia surgem diversas plataformas que negociam fretes com o uso de etiquetas inteligentes (smart labels) que permitem acesso a rastreamento das remessas a preços competitivos no mercado.

Fonte: Ecommerce Brasil com adaptações do Blog Rogerio

1+