El Corte Inglés investe em logística seguindo a Amazon

El Corte Inglés investe em logística seguindo a Amazon . El Corte Inglés criará uma nova subsidiária  independente dedicada a logística para competir com a Amazon e com o objetivo de oferecer sua infraestrutura a terceiros triplicar o seu volume de negócios e  faturar 1,200 bilhões de euros, segundo informou a Europa Press fontes do grupo presidido por Marta Álvarez.

El Corte Inglés investe em logística seguindo a Amazon

A  companhia quer  aproveitar a infraestrutura logística   já  instalada para atender  suas lojas, centros comerciais e supermercados.

Según informações do jornal  El País, se trata de uma divisão que que trabalham em torno  de 5.000 pessoas , que contam  con 1,2 milhões de metros quadrados de superficie en 50 armazéns centrais e regionais, além dos  depósitos de seus pontos de venda na Espanha e em Portugal, entre los que transitan diariamente mais de mil de caminhões, além  de outros meios de transporte que realizam despachos a lojas e aos domicilios.

Estes serviços logísticos estão  avaliados em cerca de 400 milhões de euros (é o que gastaria El Corte Inglés se tivesse que contratar de terceiros), segundo fontes conhecedoras do projeto a que se refere o jorna.

Desta forma, a companhia aproveitará e reforçará sua atual infraestructura de logística e transporte, incluídos parcerias com  outros parceiros, e oferecerá a terceiros, para converter-se em um operador logístico de ponta a ponta, desde a sua fonte de produção até o domicilio do cliente.

O grupo, que se encontra focado em acelerar sua digitalização, multiplicó por tres suas vendas ‘online’ no primeiro semestre fiscal e já representam 15% do total das vendas do varejo em comparação aos 7% do ano passado.

As ventas ‘online’ cresceram  124% no segundo trimestre após  a reabertura das lojas, registrando um crescimento só en junho de 218%.

No mês de abril, coincidindo com o confinamento pelas restrições devido à pandemia foi o maior crescimento quando  as vendas ‘online’, dispararam  386%.

Fonte: https://www.eleconomista.es/

+1