Black Friday 2020 a mais digital da história

Black Friday 2020 a mais digital da história . A pandemia acelerou os hábitos de consumo online dos brasileiros. Nunca se comprou tanto em sites e aplicativos. A expectativa é que as vendas na Black Friday deste ano superem os recordes das edições anteriores.

Black Friday 2020 mais digital da história
Black Friday 2020 a mais digital da história

A disputa que ninguém vê para essa marca ser alcançada se dá nos bastidores do e-commerce: é a guerra pela redução do preço e do prazo de entrega.

Pesquisa do Google sobre Black Friday mostra que um dos fatores que mais pesa na decisão de compra é o frete, preferencialmente o grátis. E dentro dessa categoria, o frete expresso ganha cada vez mais relevância, pois muitas pessoas aproveitam a Black Friday para antecipar as compras de fim de ano. As buscas por frete expresso cresceram 173% no primeiro semestre em relação a igual período de 2019. Por isso, quem não quiser fazer feio, não pode atrasar a entrega de um presente de Natal.

No ano passado, o principal problema registrado no Procon sobre a Black Friday foi a não entrega ou demora na entrega, com 988 queixas.

Ciente da importância da entrega, os maiores players do e-commerce se lançaram numa disputa pela ampliação de sua rede de centros de distribuição, os famosos CDs.

“Aceleramos o investimento para aumentar nossa presença em regiões como Nordeste, que apresenta o maior crescimento das vendas online do país”, explica o Diretor de Relações com Investidores da B2W Digital, Raoni Lapagesse.

Mas o que isso tem a ver com o prazo de entrega? Tudo. Primeiro é que quem tem mais centros de distribuição consegue guardar mais produtos, o que facilita na hora de despachar esses itens para a casa do cliente. Isso acontece porque o varejista ou marketplace não precisa esperar o produto sair do fabricante ou do seller para entregá-lo, pois ele já fica guardado em seu centro de distribuição.

Em segundo lugar, ter vários centros de distribuição aumenta as chances de ficar mais próximo da casa do cliente, o que também reduz o tempo de entrega. Distâncias mais curtas permitem reduzir ou zerar o frete, dependendo do valor da compra.

Outro motivo é que entregas mais rápidas ampliam a satisfação e confiança do consumidor, gerando um círculo virtuoso se consumo. A lógica é que vai ficar inclinado a comprar na loja que entregou mais rápido e pelo menor preço.

Para o Mercado Livre, a redução do prazo pode ser o motor que vai ampliar a penetração do e-commerce nas vendas totais. Durante a pandemia, essa fatia saltou de 5% para 11%. “E isso não vai se reduzir, esse é o novo piso e daí para mais. Temos muitas categorias com penetração baixa e com potencial de aumentar o e-commerce. E por que não esperar que a penetração do e-commerce suba para 20% em alguns anos? Nos Estados Unidos já é 20%, na China é 40%, afirma Fernando Yunes, vice-presidente sênior para o Brasil do Mercado Livre.

O que as empresas estão fazendo? Amazon, Americanas.com e Mercado Livre acabam de anunciar a expansão da rede de centros de distribuição:

  • Amazon: tinha cinco centros de distribuição (4 em SP e um em Pernambuco) e lançou mais três (DF, MG e no RS).
  • B2W (dona da Americanas.com): abriu unidades nas cidades de Salvador (BA), Fortaleza (CE) e Belém (PA), Até dezembro, inaugura mais um em Brasília (DF). Terminará o ano com 21 CDs.
  • Mercado Livre: possuía três centros de distribuição (em Cajamar e Louveira e Lauro de Freitas, na Bahia) e anunciou a inauguração de mais cinco em 2021: três em São Paulo (dois em Cajamar e um em Guarulhos, um Governador Celso Ramos (SC) e um em Extrema (MG).

Como isso afeta os prazos de entrega?

  • Amazon: clientes de mais de 500 municípios vão receber em até 48 horas produtos elegíveis, com frete grátis e outros benefícios para quem faz parte do programa Prime.
  • B2W: fará entregas até 48 horas para mais de 1.000 municípios brasileiros. O prazo será encurtado para 24 horas nos endereços que ficam em até 400 km de distância das capitais que ganharam novos CDs.
  • Mercado Livre: já realiza entregas em até 48 horas em 1800 cidades brasileiras. Com os novos centros, pretende estender esse prazo para todo o país.

Quanto cada uma tem espaço de armazenagem?

  • Amazon: ganhou 75 mil m², com capacidade e flexibilidade para expansão imediata.
  • B2W: com os novos CDs, terá uma área de mais de 800 mil m² para armazenamento.
  • Mercado Livre: acrescentou 340 mil m² de armazenagem, totalizando 610 mil m², com os cinco novos centros.

Do que mais depende essa redução de entrega? Cada uma dessas empresas possui estratégias diferenciadas. O Mercado Livre, por exemplo, comprou uma frota de aviões para despachar produtos para locais mais distantes – por isso é estratégico ter um CD em Guarulhos.

Já a B2W utiliza uma rede de 200 hubs, 1.700 lojas físicas da Americanas, 2.300 lojas físicas de parceiros, 5.000 microtransportadoras e 20.000 entregadores para agilizar essa logística. Os entregadores (de bicicleta e moto) realizam entrega em até duas horas.

Mas o que faz a diferença na redução de prazo é que os vendedores, os chamados sellers, utilizem o serviço de fulfillment, que consiste em deixar que toda a operação de logística (do armazenamento à entrega) fique nas mãos do e-commerce.

Para estimular a adesão ao serviço, a B2W vai oferecer até o fim do ano gratuidade no fulfillment, além de isenção de comissão sobre frete para os lojistas que já utilizam o serviço.

Fonte: Cultura/Uol

0