Itapemirim quer voar em 2021

Itapemirim quer voar em 2021.A crise da aviação mundial causada pela pandemia do novo coronavírus não esfriou os planos do grupo Itapemirim, voltado ao transporte rodoviário, de entrar no setor de aviação com sua própria companhia aérea.

Itapemirim quer voar em 2021
Itapemirim quer voar em 2021

Em entrevista exclusiva ao UOL, o CEO do grupo, Rodrigo Villaça, e o CEO da Itapemirim Linhas Aéreas, Tiago Senna, afirmaram que a expectativa é assinar o contrato de leasing dos primeiros aviões ainda neste mês de julho para começar a voar no primeiro trimestre do ano que vem. A ideia de criação de uma nova companhia aérea brasileira surgiu em fevereiro deste ano durante uma viagem do governador de São Paulo, João Doria (PSDB) aos Emirados Árabes Unidos.

Na ocasião, o empresário Sidnei Piva, presidente da Itapemirim, anunciou um aporte de US$ 500 milhões de um dos fundos soberanos dos Emirados Árabes Unidos. RELACIONADAS Coronavírus faz aeroporto do Alasca virar um dos mais movimentados do mundo Apenas 15 anos após 1º voo, Airbus já começa a construir o último A380 Presidente da Latam Brasil rejeita comparação com Avianca e garante voos Uma parte desse dinheiro seria usada para a criação da companhia aérea do grupo Itapemirim. Logo depois, no entanto, estourou a crise do novo coronavírus. O dinheiro ainda não veio, mas o CEO do grupo garante que, mesmo sem ele, a nova Itapemirim Linhas Aéreas irá decolar.

Em uma rede social, Villaça tem dado dicas de que o projeto está andando e recentemente divulgou algumas maquetes de modelos de aviões que podem voar pela Itapemirim. Três modelos de avião na disputa A intenção do grupo é iniciar as operações no primeiro trimestre do ano que vem com dez aviões. O modelo ainda não foi definido. Estão na disputa o Airbus A319, o Boeing 737-700 e o Embraer 190/195. “Queremos um avião com capacidade entre 100 e 140 passageiros”, afirmou Senna. A empresa cogitou voar com o turbélice Q400, mas essa opção já foi descartada.

Para acessar a versão completa do artigo publicado clique aqui

Leia tambem: As Aéreas vão sobreviver a pandemia (clique para acessar o artigo)

1+