Covid19: App do governo cria funções para caminhoneiros

Covid19: App do governo cria funções para caminhoneiros . Covid-19: App do ministério da infraestrutura cria funções para apoiar caminhoneiros nas estradas.

aplicativo InfraBR para apoio dos caminhoneiros ganhou duas funcionalidades lançados pelo Ministério da Infraestrutura, com apoio do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), As novas funções vão ajudar os motoristas a enfrentar as dificuldades causadas pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Covid19: App do governo cria funções para caminhoneiros . Agora, os  profissionais do transporte de cargas têm acesso às informações sobre o funcionamento de serviços essenciais nas estradas, como restaurantes e postos de combustíveis (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Covid19: App do governo cria funções para caminhoneiros

Agora, os  profissionais do transporte de cargas têm acesso às informações sobre o funcionamento de serviços essenciais nas estradas, como restaurantes, postos de combustíveis, borracharias, oficinas e lojas de autopeças.

Os motoristas poderão também identificar onde estão os postos de atendimento do Sest/Senat que estão distribuindo kits de higiene e de alimentação, funções que estão disponíveis na aba Coronavírus, no aplicativo.

Além dessas novas funções, o InfraBR disponibiliza um questionário para obter dados das condições de saúde do profissional do transporte rodoviário de cargas, bem como da situação das cargas transportadas pela categoria.

“O questionário é uma das ações da campanha do governo federal de combate e prevenção do novo coronavírus (covid-19) e apoiará o Ministério da Infraestrutura nas ações emergenciais de suporte aos caminhoneiros e de políticas públicas que reduzam os impactos causados pela pandemia no setor de transporte”, informou o ministério.

“Esse aplicativo nasceu em 2019, com a ideia da tabela de frete, mas agora estamos usando como um canal de comunicação com o caminhoneiro”, disse o secretário nacional de Transportes Terrestres, Marcello da Costa.

Fonte: Money Times

0