Só e-commerce salva?

Só e-commerce salva? Em tempos de pandemia com boa parte do comércio fechado as alternativas parecem restritas. Será?

Se você tem restaurante ou comercializa alimentos ou hortifrúti, existem varias outras possibilidades como delivery próprio ou terceirizado ou ainda o uso de apps.

Mas para os demais produtos, o e-commerce é sem dúvida o melhor caminho.

Só e-commerce salva?
Só e-commerce salva?

Cada vez mais apps ou aplicativos estão se multiplicando, ou seja, não temos apenas os conhecidos iFood e Rappi. Existem muitos outros novatos no Brasil como o europeu Glovo e o chinês Lalamove

No meio desta loucura, se podemos tirar algo de positivo deste isolamento social é que uma parcela mais resistente ao comércio eletrônico teve de experimentar.

Do lado do comerciante foi desesperador ver seu negócio proibido de abrir as portas de uma hora para outra.  Seja em shopping Centers seja nas ruas de praticamente todas as cidades do Brasil.

Com compromissos vencendo e estoques parados milhares de comerciantes de todos portes e segmentos que ainda não tinham suas lojas virtuais tiveram de buscar alternativas para poder não interromper seus negócios.

Quem pode aderiu  à marketplaces consagrados de forma a aproveitar toda a infraestrutura já consagrada que reduz o tempo de entrada em efetiva operação. 

Algumas iniciativas que possibilitaram a isenção ou redução de tarifas ou comissões durante os meses iniciais de alavancagem certamente incentivam ainda empresários a adotarem este caminho.

Quanto aos operadores logísticos existem aqueles que atuam em nichos específicos ou em determinadas regiões e aqueles de cobertura nacional. Entre as operadoras logísticas que atuam em todo o Brasil, a JADLOG é uma das mais utilizadas no e-commerce.

Do ponto de vista do consumidor, uma parcela expressiva de brasileiro teve que se reeducar, pois o e-commerce  passou a ser a única alternativa no momento para conseguir boa parte de itens necessários seja para o isolamento social, home office ou ensino à distância seja no papel de professor ou aluno.

Na China praticamente uma compra é feita por semana por cada habitante daquele país (clique aqui para ver).

Não importa em que ponta  você está o e-commerce neste momento salva sim e é um caminho sem volta.

O e-commerce vai crescer este ano Brasil ainda não consigo ter uma dimensão mas será um crescimento expressivo de pelo menos 2 dígitos. Os mais otimistas falam de 2 a 4 vezes! Façam suas apostas meus amigos e amigas do Blog!

2+