Giro de Estoque Mensal

Giro de Estoque Mensal . Se sua empresa não tem indicadores de Estoque está mais que na hora de ter alguns.

Giro de Estoque Mensal. Se sua empresa não tem indicadores de Estoque está mais que na hora de ter alguns.
Giro Mensal de Estoque

Sugiro começar com dois simples que vão te ajudar muito na gestão.

O primeiro deles mede o tamanho dos estoques. Esta informação existe no ERP ou no sistema contábil. Se ele não é compartilhado com o pessoal de operação, que cuida dos estoques, você não está sozinho.

Conheci dezenas de gestores de estoque, em vários níveis que desconhecem o real valor de seus estoques, seja em dinheiro, seja em dias de consumo ou vendas (valor do estoque dividido pelo consumo ou vendas diárias).

O desafio do dimensionamento de estoques

O estoque ideal deve ser feito com base no planejamento de demanda. Não é uma conta simples, mas que levará em consideração algumas variáveis, como o as vendas ou o consumo da companhia, o tempo de entrega dos fornecedores e o estoque de segurança para suprir eventuais picos de demanda ou atraso da entrega de mercadorias. Se você se interessa pelo assunto, sugiro que você leia o livro “A Dinâmica dos Estoques: Guia Prático para Planejamento” de Daniel Georges Gasnier.

A implantação deste indicador é rápido, basta dar acesso aos gestores (importante ter uma política de divulgação dos dados, pois em mãos erradas esta informação pode comprometer a segurança de sua empresa) e o volume de estoques pode ser acompanhado através de uma planilha e gráficos simples.

As mudanças para redução dos estoques poderão requerer alterações em outros setores seja no processo de negociação e aquisição das mercadorias ou matérias primas, seja na produção e finalmente na política de distribuição dos produtos de sua Empresa.

A redução dos valores de estoque que não gerem gargalos na produção ou venda de estoques terão reflexos imediatos no fluxo de caixa de sua Companhia, ou seja, vale a pena sua implantação.

Giro de Estoque Mensal

Para que esta gestão seja aprimorada, vou abordar outro indicador, o Giro de Estoque Mensal. Alguns negócios adotam o Giro Anual. Eu pessoalmente prefiro adotar o giro mensal, ele permite acompanhar mais de perto os resultados e agir de forma mais rápida, melhorando a desempenho de sua companhia.

A forma de cálculo do Giro de Estoque Mensal é obtida através da seguinte formula:

Na prática significa o seguinte, se o seu giro mensal for 1, é como se sua empresa consumisse ou “girasse” integralmente o seu estoque em 1 mês. Se o giro for 2, é como seu estoque fosse consumido ou “girasse” em 15 dias ou 2 vezes ao mês. Na prática, se o seu estoque tem centenas ou milhares de itens, alguns deles vão girar mais e outros menos, mas o indicador continua sendo valioso.

Este indicador dá uma visão complementar em relação ao indicador de saldo de estoque, pois ele permite avaliar de forma dinâmica se o seu estoque está dimensionado de forma adequada levando em consideração a variação das vendas e a flutuação de preços de aquisição e comercialização.

O que fazer para aumentar o Giro de Estoque Mensal

Vou abordar algumas ações que vão aumentar o seu Giro.

Padronização dos itens – temos dois tipos de atividades efetivas a serem executadas:

 – Cadastro – uma eterna dor de cabeça para maioria das empresas. Sem um cadastro adequado, o pessoal de compras poderá ter dúvidas sobre a especificação do item a ser adquirido ou o que é pior, comprar produtos diferentes como se fosse o mesmo.

– Alçada de Compra – centralizar compras maiores através do estabelecimento de alçadas de autorização de compra por valores preestabelecidos, permite ganhar escala e melhores preços e condições, como padronizar itens e equipamentos com redução de custos de manutenção e peças de reposição.

Reavaliar o seu Planejamento de Demanda – a revisão do planejamento de demanda deve ser uma atividade permanente e não apenas esporádica. Ela deve envolver os principais setores da empresa como vendas, compras, produção, financeiro e planejamento. Assim será possível encontrar as melhores práticas para Companhia. Decisões fragmentadas baseadas em interesses setoriais podem ser danosas para a Corporação como um todo.  Deve também haver um monitoramento do que está ocorrendo no mercado, pois as variações de demanda e flutuação de preços tanto no mercado nacional quanto no internacional podem requerer mudanças no seu planejamento inicial.

Revisar a política de compras e entrega dos itens – Há uma tendência de se firmar parcerias com fornecedores e clientes com compromissos de médio e longo prazo. Isto permite uma negociação com preços levando em consideração a escala de um período maior, evitando as oscilações de demanda sazonais. Este processo permite atrair fornecedores com melhores preços e condições logísticas. Ao reduzir o volume de compras repetitivas e de baixo volume, alivia os custos do setor de suprimentos, mas pode onerar a estrutura operacional de armazenagem com entregas concentradas.

Introduzir contratos de fornecimento – A formalização das parcerias a que me referi no item anterior pode ser feita através de contrato que deve prever multas em caso de não cumprimento do nível de serviço contratado ou SLA. Também devem estar prevista a manutenção dos preços (ou não) se os patamares se as previsões de compra não se efetivarem. O contrato também deve prever a possibilidade de entregas programadas e acordo com a demanda esperada. Além disto, deve haver penalização por um lado para atrasos ou não entrega de produtos e no outro extremo, para evitar antecipação de entregas desnecessárias.

 Avaliar itens sem consumo – Mudou o parque de impressoras para modelos multifuncionais e esqueceram de avisar Suprimentos para não comprar cartuchos ou tonners dos modelos antigos? Ficou estoque de cartuchos e tonners encalhados dos modelos antigos? Situações como estas acontecem com muito mais frequência que você possa imaginar. E isto vale para equipamentos e materiais que envolvem processos padronizados. Desta forma, vão ficando pequenas pontas de estoque de dezenas, às vezes centenas de itens. Algumas vezes o pessoal resiste em usar o produto “antigo”, pelas facilidades que o novo produto agrega. Se depender deles, o material ficará no estoque até o seu prazo de validade expirar. Portanto, se faz necessário uma negociação, seja com o público interno ou externo para consumir tais pontas de estoque e posteriormente “cancelar” o código do produto para que não ocorram novas compras com base no histórico passado de compras ou consumo.

Revisar as perdas ocorridas – Empresas que possuem a cultura de procurar “culpados” por erros operacionais a todo o momento, têm dificuldade de rever seus processos, pois haverá uma tendência de esconder eventos que geraram perdas. Estas ocorrências podem ser desde erros no seu acondicionamento, transporte, armazenagem ou uso. E se não forem identificadas as causas, os erros podem se repetir rotineiramente. O correto é estimular o reporte de não conformidades e para isto é necessário um formulário que deve registrar qualquer não conformidade e ao final do mês, eles serem avaliados pelas chefias e área da qualidade (se houver). Assim poderão ser identificadas oportunidades de melhorias. Vou detalhar este item em um próximo artigo.

Acompanhe a evolução dos trabalhos com planilhas e gráficos. Divulgue entre as lideranças e equipes envolvidas.

O Giro de Estoque Mensal aumentará e contribuirá para uma melhor performance de sua Empresa.

Veja o meu vídeo sobre o assunto

+6